O NCPC estabeleceu no art. 219 que os prazos são contados apenas em dias úteis.

No Processo do Trabalho, contudo, a CLT estabelece no art. 775 que os prazos são contínuos. O prazo não deixa de correr aos sábados, domingos e feriados.

 

Os prazos que se vencerem em sábado, domingo ou dia feriado, terminarão no primeiro dia útil seguinte. A justificativa é que deve-se observar a celeridade do processo trabalhista.

Entretanto, com a crise econômica que assola o país, a Justiça do Trabalho está funcionando apenas até as 15 horas. A alegação é de falta de recursos para custear a manutenção dos foros. Entretanto, não se cortou "na carne". Os salários continuam os mesmos, sem nenhuma redução...

Fica difícil entender essa lógica.